terça-feira, 27 de julho de 2010

Vela...

Hoje não, mas constantemente convivíamos com isso em um passado pouco distante... Onde tínhamos algo onde a luz natural não era suficiente.

No início com gordura, e depois para os mais finos, a parafina! Onde não havia mais malcheiro, iluminando pouco mas simplesmente o suficiente, Vela tanto ilumina, como nos leva pelos mares e rios, até os dias de hoje.

Nos dá a possibilidade de sair do lugar, de iluminar cada passo dado...

Há muito o que se aprender com esta simples fonte de iluminação, onde seu material também impede os jovens de escorregarem quando estão em lugares que sem elas, seriam tão inseguros quanto um equilibrista inexperiente em uma corda bamba...

Algo quase que inotável... A vela e sua chama capaz de hipnotizar por sua beleza, a beleza da dança de seu fogo...

Dar valor às menores coisas... Um dia alguém disse que ninguém tropeça numa montanha, mas sim em uma pedrinha, coisas pequenas...

2 comentários:

Ane Gregório disse...

"Algo quase que inotável... A vela e sua chama capaz de hipnotizar por sua beleza, a beleza da dança de seu fogo..."

Uaw...Lindo devaneio escrito, meu caro!

A.G.

Ane Gregório disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

Seguidores

Tradução