terça-feira, 31 de agosto de 2010

Sul-pondo...

Suponhamos que...

Precisas de alguém para compartilhar teus piores momentos, aquela hora em que sentes o frio e alguém deve esquentar-te!
E então vai e encontra alguém que te dê tudo isso, que te pareça inspirar confiança... E então tu te entregas e repentinamente te tornas vulnerável a este alguém.
Mas é só uma suposição!
Precisa-se disso...

Já vivi tantas vezes tal situação, e acredito que tu que estais a ler também viveu! Vivemos do pouco veneno contido em cada um, alguns poucos de nós possui o antídoto que outrora nos fez mal... Como das cobras o veneno antídoto se torna...

O que fazer com o veneno de muitos? A-guardar e deixar a vida pra um outro plano?

Bom, hoje tenho em mim o veneno de muitos... Estou juntando antídotos, e aos poucos o mal se esvai...

Abraços à vocês nobres leitores!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Te achei, és quente...

De tarde, já à boca da noite
Sol nos deixando, e a lua toca teus lábios
Surge um lado oculto ao dia
Nem explicar sabem os sábios



Os normais logo percebem mudança
Quando tento explicar meu descanso
Inútil tentativa, mas eterna esperança
Deito-me ao 'minguar' da lua



A paciência abundante na madrugada
Nem dormir me interessa mais
Quero saber só do suor pingando
Ao friccionar de nossos corpos

De ontem em diante... Teatro Mágico

"De ontem em diante serei o que sou no instante agora
Onde ontem, hoje e amanhã são a mesma coisa
Sem a idéia ilusória de que o dia, a noite e a madrugada
são coisas distintas

Separadas pelo canto de um galo velho
Eu apóstolo contigo que não sabes do evangelho
Do versículo e da profecia

Quem surgiu primeiro? o antes, o outrora, a noite ou o dia?
Minha vida inteira é meu dia inteiro
Meus dilúvios imaginários ainda faço no chuveiro!

Minha mochila de lanches?
É minha marmita requentada em banho Maria!
Minha mamadeira de leite em pó
É cerveja gelada na padaria

Meu banho no tanque?
É lavar carro com mangueira
E se antes, um pedaço de maçã
Hoje quero a fruta inteira

E da fruta tiro a polpa... da puta tiro a roupa
Da luta não me retiro
Me atiro do alto e que me atirem no peito
Da luta não me retiro...
Todo dia de manhã é nostalgia das besteiras que fizemos ontem"

(De Ontem em Diante - O Teatro Mágico)

domingo, 29 de agosto de 2010

Avante!

Participarei da festa que um dia me fizer parte de um alguém!

Parte de onde estais e vem ao meu encontro, será mostrado um novo mundo...

- Mas e se esse mundo não me trouxer completa satisfação?

É importante que possamos perceber o quanto o que queremos será ideal pra quem amamos, não se deve crer apenas na própria mandíbula.

De repente tu estais num 'sonho de verão' e achas que nada vai te atingir, quando sem esperar te arrancam a estabilidade das pernas... Mas mesmo instável deves progredir, ainda temos braços, temos coração... Mesmo que pressionado... Ainda temos!

Deve-se pensar que a vida nos dará outras formas de viver, caminhar, correr e até viver um novo ápice amoroso.

Finalmente, cair e permanecer progredindo!

sábado, 28 de agosto de 2010

Sonhos

Tenho esperança de um dia ter os sonhos realizados, mas temo que quando isso acontecer, estarei ouvindo as vozes de quem hoje me acalenta, de algum lugar tão alto que não serei visto...

Um acalento caliente, que cala a mais imprópria língua proferindo as mais banais e vulgares palavras, uma branda forma de receber as más palavras.

De quantas formas diferentes poderíamos ter visto cada situação, quantas vezes poderíamos ter tomado a melhor decisão, o que fizemos errado e desejamos voltar e refazer, mas nada é apagável na vida... Tudo é registrado, um momento bom ou ruim... TUDO!

Tentamos por vezes treinar nossos instintos a guardarem apenas aquilo que gostamos, e as ruins deixar como se tivessem sido escritas na parte mais próxima do mar... Que pudesse ser apagado com facilidade.

Falhas tentativas, pois tudo fica, e cabe a nós apenas superar e conseguir falar sobre sem derreter-se em meras lágrimas, insignificantes gotículas que sem dó percorrem nossa maçã... Um dia mordida por quem nos faz ter lágrimas ali... Mordidas de carinho...

O choro não exime o lutador do combate, não o protege do próximo golpe adversário... Simplesmente o faz demonstrar o quanto é falho, mas pode demonstrar também o quanto o mesmo odeia seu inimigo!

O choro pode representar o medo, a vontade de fugir... Pode também ser de ódio, ou de alegria...

Ao fim da luta, sobrevivendo, verás teus sonhos se realizando... Basta resistir sempre, ao menos terás tentado!

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Beijanjo

O beijo que te tira o ar, forma nuvens abaixo dos pés... Ofusca a vista de quem observa e logo faz sumir, a melhor forma de compartilhar espaços na boca, com um gosto inconfundível de alguém que se ama! Inferior, superior... Tudo é mordido de uma forma tão intensa que a dor se torna prazerosa e nada é lembrado naquele exato momento a não ser como fazer perdurar aquele momento, que tristemente deve ter fim...

E ao fim, ao fim, toda desonra e tristeza... Se bem que, permanece a delícia de saber que um outro virá, e quando vir, valerá a pena ter terminado naquele momento!

¿Mas e se não vier?
Não veio...

Quando acaba, é como um pouso de emergência de um anjo, com defeito na asa...
Talvez a queda seja necessária pra que o anjo aprendesse a se livrar em situação de perigo no ar... Onde um dia todos nós chegamos!




Sem mais... Toda situação vem pro bem, e o bem que faz, o mal jamais deve encobrir o que se aprende com as mesmas!

Na vida...

Estamos sujeitos a olhares secantes
Suspeitos de ter feito antes
O que nem sonhamos agora
Sem a chance de pô-los pra fora


De certo que és seca
Como as ostras ao sol
Triste como som da rabeca
Vives no teu amado atol


Sair de ti mesmo é arriscar demais
Medo da noite te acabrunhar
Em meio a escuridão
Por sua vez infla a ação...



Devo mentir pro perdão surgir?

Amenizar a dor pra poder seguir?
Se no frigir dos ovos vir à tona
Sofrerei por infringir o amor

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Beleza... Relativa... Relação...

Sair sem saber porque saí, entender o fato do caminho vital se tornar tão intenso quanto o próprio significado da respiração.

Julgamos pela aparência, típico do ser humano... Se vês alguém mal vestido, julgas... Se sentes que alguém não satisfez seu gosto com um perfume que te atrai, logo achas que não são dignas de atenção ou aproximação.

A beleza é realmente essencial, a ausência dela pode ser simplesmente um gosto diferente do teu, o que dizer ser horrendo para ti pode ser lindo para um outro alguém. Daí então vem o questionamento: Interior ou Exterior? Qual a beleza que realmente cabe a nós julgar e valorizar?
Bela Rosa

Bem, de certa forma uma rosa tem um padrão de beleza, e quando foge disso se torna uma beleza exótica... Uma simples senhorita, ao estar fora do padrão, julga-se feia.
Como as rosas, as mulheres merecem sempre um tratamento especial independente da beleza exterior, satisfazendo ou não seus gostos. Personalidade e inteligência.

Há uma relação em tudo? Quem as relaciona, faz o certo?

Julgar sempre foi ilegal, sentimentalmente falando.


"Ainda não vi ninguém que ame a virtude tanto quanto ama a beleza do corpo."(Confúcio) 

domingo, 22 de agosto de 2010

Onda...


Todos precisamos de uma última dança... Quando?

Ao prelúdio de uma morte, despedida, 'fim' de um amor...

Podendo ser uma dança, algo não no sentido mais literal, mas... Uma leve simbologia, uma despedida onde se possa lembrar eternamente, mesmo que tudo mude e que todos esqueçam até de si mesmos.
Algo seja feito onde um dia quando reacender, caso isso aconteça, que a volta seja mais brilhante do que qualquer outra luz já vista, como exemplo, o SOL.

O Amor vem, te atinge como uma onda forte, que às vezes encontra uma rocha bate e rebate, outras encontra ruinas... Qual seria o mais difícil de prosseguir?

Tentar novamente contra a rocha ou invadir as ruinas e reconstruir?

Respostas? Voluntários?

Ao atingir uma rocha a onda se dói, a dor da onda... Ela a sente como nunca havia sentido, e pensa em desistir de se fazer novamente, mas insiste e resiste até que consiga finalmente adentrar onde antes só havia rochas. Depois que conseguir, valerá a pena permanecer? ou voltará para o mar? O sol não a evaporaria? Bom...

E encontrando ruínas destruiria o pouco que restou, construiria novamente... Entraria fácil, faria com que a rocha esquecesse o que um dia aconteceu ali e colocaria algo novo no lugar... Talves enfeitar com lodo ou corais, mas... Que deixasse um lindo lugar... Mas e depois?

Se realmente amor fosse onda, logo acabaria... Mas, o Amor é todo um Mar... Mais ainda! Um planeta inteiro, com idas e vindas, pedregulhos e peregrinos, vida e morte, paz e guerras, brigas e carícias, caretas e sorrisos...

Por fim... Tudo forma uma música aos ouvidos de quem ama, a onda...

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Tem Pó




Leva um tempo pra ter pó
O que tem pó, teve tempo
Pode alguém viver só
Só, ouvindo o som do vento

Penso em liras, olhando lírios
Sentindo o som dos rios nas têmporas
Ouvindo o bater dos próprios cílios
Ou o som do nadar das anêmonas

Nem ao menos do lugar saem
Paradas no tempo, mas não tem pó
Nem predadores atraem
Nem por isso vivem sós

Simplicidade... Reflexão..

A simplicidade é algo que se deve valorizar ao analisar um alguém para estar contigo.

Simplicidade = (ou frugalidade), é a ausência de artifícios, extravagâncias e excessos de ordem material, social ou psicológica. (Wikipedia)

Convivemos com pessoas por toda uma vida, mas, o que as diferencia? Muitas características, uma delas é o nível da simplicidade.

Simplicidade leva a felicidade, felicidade nos leva a viver por mais tempo com mais idade, seria esse o desejo da maioria?

Dar valor a coisas que podem nos construir uma base sólida para o crescimento, mas que muitas vezes não atentamos por achar que não importam ou não valem a pena. Refletir sobre as pequenas coisas realmente é importante.

Exemplificando, segue um leve poema de Fernando Anitelli do Teatro Mágico, sobre o "Retrovisor":

Enfim... Gostei...

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Romantismo... Existe?

"Os homens distinguem-se pelo que fazem, as
mulheres pelo que levam os homens a fazer."

(Carlos Drummond de Andrade)


O velho homem quando visto de uma óptica moderna, ao demonstrar sua característica mais verdadeira, falo do romantismo, é bastante criticado por pessoas de ambos os sexos.
Crítica que vem estimulando o homem a deixar toda aquela questão de abrir a porta do carro, afastar a cadeira da moça no jantar, ceder o casaco num momento de frio, abrigar-se junto com a moça num dia chuvoso embaixo de uma "jacketa". Bom, ultimamente isso tem sido deixado de lado em razão do posicionamento contrário da imagem que deve ter o indivíduo em relação a pessoa que é amada.

Bom, é uma questão de gosto feminino, podendo variar em cada uma das mulheres.


Prefiro apegar-me ao antigo romantismo, a fazer o que muitos hoje fazem... Assim estarei sendo diferente e me sentindo bem!

Alguns homens usam máscaras, tentam demonstrar rochas de uma cadeia de montanhas quando na verdade são tão sensíveis quanto um coração humano frente à espada prestes a transpassá-los!

Enfim... Amores existem, são vividos, merecendo total entrega, apesar dos pesares da modernidade!

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Acontece... E quando...

A moça que hoje reclama
À minha frente por mexer
Na mecha já mexida
Mal sabe que apaixona


A briga que prenuncia a pronúncia
Proferidas direcionadas ao intemerato amor
Infringindo regras verbais, conjugações
Ditos que enformam¹ o sentimento


Logo chega a um chalé
Apertado e formatado
Seguindo um desprendido padrão
Hoje privilégio da ralé


Onde céticos encontram certezas
Poucos agem com desprezo
E quando existe, ódio não impera
E a quem merece, espera


¹ = enformar - v.t. Meter na fôrma. / Fam. Comer muito. / Dar forma a. / — V.i. Crescer, desenvolver, encorpar....

Sonhos

Decomponho sonhos e me oponho a tê-los, à noite ao dormir não penso em nada medonho e mesmo assim risonho não acordo...

Melhor é viver e ascender com cuidado para evitar a queda que veda o futuro, impede a progressão tendo em vista os pedregulhos que se formam com a desconstrução.

Nada mais a escrever no momento...

Abraço a cada um que ler!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Escolhas... São folhas...

Decisões, todos nós estamos sujeitos a elas...

Tanto nossas próprias quanto as de outrem. Triste fato, à julgar pela influência sentimental sofrida por muitos no momento de suas escolhas.

Já passei por situações onde dependia de escolhas, e por mais simples que pareçam elas são complexas e pode-se dizer que afetam a nossa vida como um todo. Frequentemente vemos pessoas enfrentando situações catastróficas por conta de "simples" decisões anteriormente tomadas.

Precisamos valorizar cada uma delas, como se fossem importantes, não digo para criar tensão todas, mas atentar e escolher certo!

Escolhas sempre nos levam a folhas diferentes, como um inseto passeia, ou uma abelha de flor em flor, elas decidem!

Abraços...

domingo, 15 de agosto de 2010

Aventuras

...Experiências aventurescas podem criar uma estimulação psicológica e fisiológica, o que pode ser interpretado como negativo (por exemplo, medo) ou positiva (por exemplo, coragem)... (Wikipedia - Aventura)

Iniciamos o traçar de nossas vidas do primeiro segundo de vida, ao último suspiro...
Enquanto a história é escrita, o desejo de que alguns daqueles momentos se tornem uma eterna imagem de um puro amor, coisas acontecem, pessoas vem e vão...
As mais especiais mantém-se em órbita, outras simplesmente deixam de estar contigo.

"Estar contigo, e não estar contigo! Extremos da felicidade"

Temo não poder segurar-te em meus braços por noites, e dias sem sol...

Faço por onde te ter cada segundo... Oh doce vida, Acaricia e Apunhala!

Enfim... VIVA Aventuras ao máximo!

sábado, 14 de agosto de 2010

Pensando de dentro para dentro...

Nascemos dos instintos e os instintos propagam-se em nós!

Falta sorte na minha ida
Numa manhã pode acabar
A construção de uma vida
Por traição como de Calabar

À velocidade de uma traça
Ponho a fé numa conversa de praça
Como se nunca fosse desgraçar
A história do ano naufragar

Como uma terra perdida
Colonizada por mil vezes
Às margens da ternura
Beirando a envergadura ao mal

Que à farda desonra na rua
Oculto aos olhos pagantes
Boas vindas ao ilegal
Vem e destrói a fé antes questionada

Por fim, a desordem e o regresso!

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Despedida...Saudade...Continua.....



Despedidas, com a certeza do retorno, por mais certas que sejam, por mais força que se deseje... Sempre são despedidas!

Temos tempo para tudo na vida que foi nos dada, precisamos de um tempo sozinhos, mas muito tempo sozinho faz querer alguém e muitas vezes alguém, mesmo que distante, se faz próximo...

Agora que vejo como é se despedir, lágrimas caem... Lembranças vem...

Podem dizer o que for, mas vivo aprendendo a sentir o que devo sentir no momento certo!

Um amor, fraterno ou aquele amor que nunca pensastes em viver... Uma história vivida com intensidade, por pouco tempo mas intensa! Algo sublime dito por uma voz tão próxima do ouvido quanto o calor de corpos nus tocando-se...

Por fim... Despedidas não me atraem, mas são necessárias... Só sinto falta mais tarde, mas sinto!

Seguidores

Tradução