quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Beijanjo

O beijo que te tira o ar, forma nuvens abaixo dos pés... Ofusca a vista de quem observa e logo faz sumir, a melhor forma de compartilhar espaços na boca, com um gosto inconfundível de alguém que se ama! Inferior, superior... Tudo é mordido de uma forma tão intensa que a dor se torna prazerosa e nada é lembrado naquele exato momento a não ser como fazer perdurar aquele momento, que tristemente deve ter fim...

E ao fim, ao fim, toda desonra e tristeza... Se bem que, permanece a delícia de saber que um outro virá, e quando vir, valerá a pena ter terminado naquele momento!

¿Mas e se não vier?
Não veio...

Quando acaba, é como um pouso de emergência de um anjo, com defeito na asa...
Talvez a queda seja necessária pra que o anjo aprendesse a se livrar em situação de perigo no ar... Onde um dia todos nós chegamos!




Sem mais... Toda situação vem pro bem, e o bem que faz, o mal jamais deve encobrir o que se aprende com as mesmas!

4 comentários:

Marta disse...

sorri.
sorri muito. ao ler este texto.
obg. :)

Ane Gregório disse...

¿Mas e se não vier?
-Virá ;)
Rsrs...

Almyr Rodrigues disse...

Marta, confesso que dei risadas enquanto escrevia... Por memórias que chegavam a todo tempo!

Ane... Duas possibilidades...


Beijos

Ane Gregório disse...

Uiii...Hushaushua...
2 posibilidades!
;)

Seguidores

Tradução