sábado, 14 de agosto de 2010

Pensando de dentro para dentro...

Nascemos dos instintos e os instintos propagam-se em nós!

Falta sorte na minha ida
Numa manhã pode acabar
A construção de uma vida
Por traição como de Calabar

À velocidade de uma traça
Ponho a fé numa conversa de praça
Como se nunca fosse desgraçar
A história do ano naufragar

Como uma terra perdida
Colonizada por mil vezes
Às margens da ternura
Beirando a envergadura ao mal

Que à farda desonra na rua
Oculto aos olhos pagantes
Boas vindas ao ilegal
Vem e destrói a fé antes questionada

Por fim, a desordem e o regresso!

Nenhum comentário:

Seguidores

Tradução