sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Tem Pó




Leva um tempo pra ter pó
O que tem pó, teve tempo
Pode alguém viver só
Só, ouvindo o som do vento

Penso em liras, olhando lírios
Sentindo o som dos rios nas têmporas
Ouvindo o bater dos próprios cílios
Ou o som do nadar das anêmonas

Nem ao menos do lugar saem
Paradas no tempo, mas não tem pó
Nem predadores atraem
Nem por isso vivem sós

4 comentários:

*.* Renata Lara *.* disse...

Foi vc quem criou esses versos?
Belo blog, continue assim! ;)

Eurico disse...

O pó do tempo...
e a poesia...
encontram-se no teu estro.

Abraçamigo.

Marta disse...

gostei muito de ter chegado aqui.

Almyr Rodrigues disse...

Sim Srta Lara, escritos por mim...

Obrigado Nobre Eurico...

Marta, digo que és bemvinda!

Abraço a todos!

Seguidores

Tradução