sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Minha brisa... Menina brisa!

Hoje eu senti tua falta, de quando você chegava pelos ombros e contava o quanto querias que não me afastasse, e tudo que eu ouvia nem era tua voz... Ouvia também o choro da grama que desistiu de nascer, ao ver o quanto seria pisoteada.

A sombra levava o frescor do dia em que te conheci, foi ao primeiro olhar e a paixão foi o primeiro senso.


E então vieram os encontros posteriores, e cada dia que se passava você falava mais alto... Chegando ao grito pouco depois, foi então que aprendi a te ouvir... Vi quanta atenção você realmente merecia!

Minha brisa... Menina brisa!

2 comentários:

Iorgama Porcely disse...

Às vezes quando percebemos a falta que aquele alguém faz é muito tarde... E, dessa forma, nem sempre temos tempo para tentar uma reaproximação. Seria tão bom se aprendêssemos a ouvir mais cedo.
Belo texto.
=**

Ana SS disse...

Almir,
seja bem-vindo ao Significantes!
Seguindo-te.
Um abtraço!

Seguidores

Tradução