quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Não sabe o que fala...
Não sente o que deve...
Não repete o que merece...
Não faz mais uma prece, simplesmente vai à praça.

Vai à praça e apressado logo corre de volta pois sua concha o espera.

E se ele tentasse não ser feliz o tempo todo?

Blefes intermináveis contra si mesmo, incompetente não consegue negar que o vermelho do próprio sangue assusta, mas dos outros o atrai. Psicopata.

Traz consigo as lembranças mais antigas, que o fazem hoje ser quem antes odiava.

Agora já sabe o que sente, necessita e não repete as preces que faz.
Já não mais fala o que deve, o que merece ser dito nem em casa e menos ainda na praça.

3 comentários:

Dario Dariurtz disse...

Forte! Terá coragem de dizer? Ou ficará calado. As vezes o silêncio é a melhor resposta.

Ana SS disse...

Um meio de obter é não procurar, um meio de ter é o de não pedir. Clarice Lispector

luh.santos11 disse...

estado meio inquieto ... entre o ser e o querer !

Seguidores

Tradução