terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Princesa, ora vestida, ora nua

Bela Pintura de John Collier
E de repente o contrário se lhe pôs...

Fez do Inferno o Alasca,
Dá voz ao frio
Dá fraqueza à força
Do inteiro já partiu

Do melhor vem a essência
Da inocência, a indecência
E o complexo, simples se torna
A santa converte-se à puta

Tudo muda, nada perpetua
Dos vestidos da realeza,
Agora a jovem está nua
Fria, fraca, partida, indecente...

2 comentários:

Ana SS disse...

Haverá de tecer uma nova veste com a primavera..

Almyr Rodrigues disse...

E o ciclo não pára.

Seguidores

Tradução