sábado, 26 de fevereiro de 2011

O.dia.do... Acidente!

Quanto ao carro que passou
Não tinha nome ou cor
Foi-se e nem mesmo buzinou
Permaneci, desvanecendo-me em dor

Com que velocidade se foi?
A mesma que veio
Que o deixou sem nome e cor
Até hoje foi e não voltou

Da forma que ele nem tinha
O rastro que ficou foi de ódio
Sirenes apagadas acima
O mau sentimento que aflora

Tinha a cor do vento
O sabor neutro
O formato do ar
Sem vontade de amar...

Nenhum comentário:

Seguidores

Tradução