domingo, 20 de fevereiro de 2011

Que tempos são estes? De amor não se fala...

Falar de amor em tempos de horror
Sanar a dor é parte do fracasso
O grito de socorro comum ao amor
Ódio, eterno caminho ao insucesso

Mais fácil matar do que amar
Não se mata mais de amor
Hoje a morte é por 'amar'
O cruel assassinato de uma flor

Satisfazer os prazeres e só
Desfazem a magia do amor
Somos carne que volta ao pó
Nasce, (sobre)vive, morre e só

Nenhum comentário:

Seguidores

Tradução