sexta-feira, 24 de junho de 2011

Paz? Se fica a dor...

Às vezes a paz nos atinge
Quando estamos à sós...
Outras vezes nós atingimos a paz
Por estarmos acompanhados...

Paz? Se fica a dor?
Sei que não há, mas
Tanta história mal vivida
Pra entardecer mais vívido

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Dormi, não por sono, mas...

Dormi, não por sono, mas...
Por esperança de ser melhor
Compreendido pelos demais
Dos quais a reação já sei de cor

Desmistifico sonhos mirabolantes
Escapo por entre dedos do tempo
Enquanto não chegar aos intentos
Ao resto do universo, um desatento

Loucura será meu novo nome
Sobrenome, totalmente mutável
Lá se vai o coração d'um homem
E entra agora um órgão mutante

E todo desprezo demonstrado
Será como um todo aniquilado
Da tua boca, quebrarei os dardos
Dos desastres, à você o enfado...


quinta-feira, 16 de junho de 2011

A Timidez da Lua

Tenho em mim uma vontade
Que aflora quando menos preciso
De esconder-me em verdade
Desejando não ter nascido

Sorrindo do meu jeito
Tudo como eu havia feito
Até me roubou do peito
O amor no calor de um beijo

Um planeta sobre minha lua
Uma mão sobre meu coração
O calor na noite mais fria
Amor que silencia sensações

Não vou a lugar algum
O eclipse, deixo de ver
Passo apenas a sentir
Por estar perto de você



terça-feira, 14 de junho de 2011

Obrigado

Por existir, por viver
Por nascer, por amar
E felizmente, amo você

E sobre o que foi dito
Tive que ouvir
Depois gastei meus gritos

Implorei uma volta
E toda escolta se desfez
Indefeso, novamente, chorei...

Sei do descaso que é
Uma flor do jardim arrancar
Eu de descanso preciso
Pra não ter que deixar de te amar

...Por tudo que me fez... Obrigado!
Sinto-me seriamente obrigado a retribuir-te todos os benefícios e males outrora feitos!

Obrigado!

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Que Falta aos Amantes

Que falta aos bons de hoje?
Que hoje amam sorrateiramente
Não revelam seus amores
E morrem tristes silenciosamente

Olhos podem até dizer algo
Mas por elas nada fazem
As ações são para as mãos
E se vê com o coração

Alma, mãos, beijo e rosto!
Entoando em uníssono
A vontade de ter meu gosto
Inibindo algo que preciso

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Leve Revolta

Pensando em coisas velhas
Certas folhas urgem seguidas de galhos

Filas de desamores e blefes
Lembram-me que a vida é uma dívida

É quando me revolto
Envolto em epidermes alheias
E em toda esta loucura, vou e revolto
Os problemas continuam os mesmos

Me retiro em luto do que não resta
Foram-se os ídolos, forças e vidas
Toda alegria baseada na curta festa
Onde ao fim, sempre transitam feridas

terça-feira, 7 de junho de 2011

Olhares e Descobertas

O que vejo sobrepõe o que suponho...
Almejo ter comigo sincero olhar
De cinema, de novela ou de sonho
E da tua boca, o beijo, o molhar

Diga à todos nossa sensação
Segredos desvendados à dois
Do corpo, da alma e do coração
O que aprendi admirar depois...


sexta-feira, 3 de junho de 2011

Hoje, a noite - Amanhã, o dia

A noite que não teve dó
De permitir surgir o luar
Só, sentiu dó em me deixar... Só
E a lua ganhou outra em seu lugar

Os cenários construídos por nãos
Onde estive por longos anos
Desfazem-se frente ao amor
A beleza no fim do rancor

Do nascer ao feliz morrer
Não se tem maior alegria
Do tempo que passo em você
Mesmo que só por um dia

Seguidores

Tradução