sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Passaria


Quero que esqueças tudo
Que já me viu desnudo
Que estivestes em meus planos
Que inspirastes poemas meus

Bandeiras e conquistas, retiradas
Divisões injustas de doces...
Choro à dois, e os encantos
O disfarce mútuo ao pranto

Passou e não há de alimentar-me amar
Conchas pisadas, pesados são os pés
Pasto morto entregue ao deserto
Coração não mais aberto...

Nenhum comentário:

Seguidores

Tradução