quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Poeminha Flor

Exalou tão solto
Pude então sorrir ao efeito
Do odor apurando a dor
Ora fingida, ora sentida
Causa nobre, amor
De longe
 não,
 perto?
 Talvez,
 sinto?
Minto!
                                         Finjo             por ti, perdi, nós...
                                           Há sentido em não mentir por amor?
                                           E...          Há medidas num odor?
                                   Sonho                        Pesadelo
É viver
O imaginário
Sem monstro
no armário,
desespero
solidão
pesadelo
Qual seria o odor de um pesadelo?
Aprendemos com erros reais,
Errar no sonhos não é vivê-los...
Aprender com erros irreais? Querer demais!

Nenhum comentário:

Seguidores

Tradução