quinta-feira, 15 de março de 2012

Cadentes

Cadentes

De um amor por perto
Quero esperar o incerto
Espiar, deitado, o céu
Em meio ao luto, brilhantes...

Cadentes, tridentes, ascendentes
São estrelas, punições e profecias
Pedidos perdidos em incertezas
Que eu fiz por inocência

Cortando o céu, como a um véu
Estão os anjos de desejos
Pedidos meus por ti
Deitados encaixados e perfeitos...

Olhos que fechados avistam
Ouvidos insensíveis que ardem
'A pele que habita no esconderijo do alto'...
Compreensão e brilho, desejo indecente

Nenhum comentário:

Seguidores

Tradução