domingo, 25 de março de 2012

Nunca Olhar

É por muito saber
(Que) Não atende ao desejo
De direcionar o olhar
Teme cair de amor

Almas recém
Sentimento
Sem medo e medidas
Sem métrica no poema

Desordem de uma ótica
De outra é metódica
Canção em prosa
Cansam da reza sobre rosas

O falar ininterruptível sobre amor
Sobre o mascarar e sofrer dos poetas
Sobre flores, dores e atuações
Sobretudo a nossa vida

Nenhum comentário:

Seguidores

Tradução