quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Pontos


            Prefiro a palavra, apesar de exagerar nas vírgulas, e a tristeza é como uma palavra, que é sempre maior que uma vírgula, ponto. Entre as palavras sempre vai haver, uma vírgula, sendo esta a felicidade. Vez ou outra surgirá um ponto, pondo fim a tudo que houve. No ponto a felicidade é maior, descobrimos então que a vida não é feito das palavras, mas do intervalo entre elas, e ponto. Algumas palavras escondem o que era pra ser, ponto. O encanto está no silêncio, no espaço, na eficiência do destaque a uma vírgula, ponto final.

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Aurora Que Há De Vir


A escuridão que desabrocha
Desata em mim uma oração
Uma rocha ora lapidada
Consolado por uma canção

Uma oração que afaste o medo
O receio e todo o resto
Que a canção me ponha um teto
Me proteja como mãe ao feto

Lembro, então, de como foi
O momento e a vida em retalhos
Um mosaico banhado em amor
Que agora devo quebrá-lo

Surge agora o sol de outrora
Reaparece e retoma minha aurora
Mostra o que ontem não via
Quando não sabia que tinha vida

Há vida no fim da escuridão
Há mar mesmo que não veja
Que a noite não esqueça
Que é grande o mar que há

Que seja infindo
Que eu saiba entender
Que mesmo sozinho
Eu sim, sei, ei de vencer!

quinta-feira, 28 de março de 2013

Tanto Faz

Na vida que se tem
No sentido de perder
Não é mais como morrer
É mais como um tanto faz

Na medida do infinito
Faz sentido se... Sigo

...

terça-feira, 12 de março de 2013

Do Que Lembra

Que o meu desejo afaste
Tudo que me vier de lá
De cá me dou bem
De lá, nem tanto...

É de longe que o mal vem
Distante, mas me cego
Entrego-me e disfarço
Já não sei o que faço!

Descarto espaço e tempo
Por ora só eu sei quem sou
Perto ou distante, eu sou
Sou quem eu sei

O grito que cessou a discórdia
Discordou da história
Descreu da versão e opinião
Creu apenas na memória

Seguidores

Tradução