quarta-feira, 17 de junho de 2015

A Zica da Flora

Zizi que casou com Flora
Que lembrava Sherlock por ter um Watson
Que confundia-se com Teresa
Que por ser chata vivia desprezada
Investigava vida'lheia como ninguém
Toma um gole ou dois, por seis seus
Pra ver de todos a verdade exalada

O que vê no anoitecer do sábado
Proclama'Deus e ao mundo!
Piedade, então, peço ao Deus que é dela e meu
O perdão, que já dizia o poeta, um dia cansa de perdoar
Do tanto que já vaguei, não vi um terço que ela viu
O mesmo terço é da reza dela

Zizi é fogo ardente ainda em vida prestes ao inferno
Quando se for não haverá quem empreste gelo e água
Que poeta vai se calar diante desta
Perturba mais que uma paixão

Teresa era desprezada mas era acolhida
Sherlock salvava a boa moça
Flora teve azar e morreu com Zizi

Um comentário:

Luciara disse...

Quanto tempo! Saudades das tuas palavras!

Seguidores

Tradução